O livro A Mocidade n’O Espelho, de Cristiane Garcia Teixeira, parte de um texto de autoria inédita, datado de 1859, encontrado por ela durante sua pesquisa de mestrado.
A sombriense, que é historiadora e pesquisadora da UFSC, ganhou repercussão da imprensa nacional ao encontrar uma biografia de Dom Pedro II escrita por ninguém menos que Machado de Assis.
Jornais como A Folha de São Paulo, portais de relevância nacional como o Uol e o Jornal Hoje, da Rede Globo de Televisão, noticiaram a descoberta.
O livro, com lançamento marcado para a próxima sexta-feira (5/8), analisa outras possibilidades de autoria inédita de Machado de Assis e a importância da revista O Espelho (publicação sobre literatura, moda, indústria e artes), um dos seus primeiros trabalhos como escritor e jornalista.
O texto de Dom Pedro II descoberto por Cristiane, foi publicado em 6 de novembro de 1859. O perfil de três páginas, escrito com ironia e com um conceito de “história” peculiar para a época, foi matéria de capa da publicação. Até então, era considerado um texto sem autoria comprovada.
Segundo Cristiane, já nos parágrafos iniciais é possível notar características tipicamente machadianas, como o uso da narrativa em primeira pessoa. Além disso, a famosa “pena de galhofa”, que dribla o leitor das intenções reais do texto, dá o tom da narrativa.
“Essa estratégia de escrita do negaceio, que é muito característica de Machado de Assis, está presente logo de cara. Ele fala no texto que não vai tratar de política, mas o que ele faz o tempo todo é falar sobre política no texto”, argumenta a pesquisadora.
Cristiane também investigou como autores e seus textos “se movimentavam” dentro da publicação, como se formou o quadro editorial, juntamente com a análise de outros impressos que possuíam os mesmos colaboradores.
O lançamento será nesta sexta-feira dia 5, na Casa de Cultura de Sombrio, às 19 horas.

Sobre Machado de Assis
Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) é um dos maiores autores brasileiros. Autor de Dom Casmurro, Memórias póstumas de Brás Cubas, O alienista, Quincas Borba, entre outros, Machado de Assis foi fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Sobre autora
Cristiane Garcia Teixeira é mestra em História Cultural pela UFSC (2016) e doutoranda em História Cultural na mesma instituição. É autora da dissertação Um projeto de revista n’O Espelho: literatura, modas, indústria e artes (1859 – 1860). No doutorado, estuda a Sociedade Petalógica do Rossio Grande (1830-1865).

 

0 Comentários

Comente essa publicação