Em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, dia 3, as autoridades policiais do Rio Grande do Sul anunciaram a prisão de mais dois homens suspeitos de integrar a quadrilha que assaltou uma agência bancária em Criciúma. Os envolvidos foram detidos em Gramado, no fim da manhã desta quinta.

As prisões ocorreram após a Polícia Civil ter informações de uma casa alugada por aplicativo na cidade de Gramado, onde foi cumprido um mandado de busca e apreensão. No local, um suspeito de Minas Gerais foi preso. As autoridades dizem que há a possibilidade do suspeito ser ligado a facções criminosas.

Um outro homem foi preso na mesma ação, enquanto tentava fugir por um matagal.

Com estes, já são nove indivíduos presos por suposto envolvimento com o crime. Um outro já tinha sido preso em uma casa em Três cachoeiras, que teria sido usada como local de transição para a fuga. No local, ele disse ao Bope que recebeu R$ 5 mil para queimar os objetos encontrados no imóvel, como roupas, latas de tinta spray e equipamentos para detonação de explosivos. Também havia 8 aparelhos de celular, roupas sujas de sangue e um furgão.

Outros cinco envolvidos foram presos na quarta-feira, dia 2, três deles em Torres e outros dois em Porto Alegre. Esses últimos estavam com R$8.100,00 em espécie e um veículo HB20, que segundo a polícia, teria sido usado como batedor. A Polícia Civil gaúcha lavrou o flagrante por participação em organização criminosa e coautoria no crime praticado em Criciúma. Pela manhã, eles foram trazidos a Araranguá. Em interrogatório, os detidos chamaram advogados e não se manifestaram.

Uma mulher, que também pode estar ligada à quadrilha, foi presa em São Paulo, com drogas, munições e dinheiro.

No decorrer das investigações, um galpão utilizado pelos bandidos foi encontrado em Içara. O local foi utilizado para a pintura dos carros e preparativos do crime. Há a suspeita de que foi do galpão que os bandidos saíram para praticar o roubo, incendiando um caminhão diante do batalhão da PM em Criciúma.

A Polícia Civil de Santa Catarina emitiu uma nota sobre as investigações, pontuando que elas continuam e detalhando o que já foi descoberto até o momento. Confira:

“NOTA: Investigações avançam sobre roubo

A Polícia Civil de Santa Catarina informa que, a respeito do roubo ao Banco do Brasil ocorrido em Criciúma na noite de segunda-feira (30), houve considerável progresso nas investigações e foram adotadas todas as providências legais sobre suspeitos do crime, por exemplo, a realização de representações judiciais em relação a esses suspeitos.

Os desdobramentos dos trabalhos investigativos neste momento serão mantidos em resguardo a fim de garantir o sucesso das investigações e tão logo seja possível as informações serão trazidas ao domínio público.

Os trabalhos da Polícia Civil de Santa Catarina no caso prosseguem sendo realizados em conjunto com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, Polícia Civil de São Paulo, Brigada Militar do Rio Grande do Sul, Polícia Rodoviária Federal de Santa Catarina, Polícia Rodoviária Federal do Rio Grande do Sul, além da Polícia Militar de Santa Catarina, Ministério Público de Santa Catarina, Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP/SC) e Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina.”

Informações: Portal NSC

0 Comentários

Comente essa publicação