Uma foto postada nas redes sociais ganhou repercussão nesta semana por registrar um momento singelo de amizade. Nos arredores da escola Bernardino Sena Campos, no bairro Coloninha, em Araranguá, um policial se aproximou de um menino. O garoto, magro e de pés descalços, era filho de um vendedor de picolés, que aproveitou o domingo de eleições para vender seus produtos no local. Logo o policial engatou conversa com o menino, perguntando sua idade, o que queria fazer, e ao oferecer alimento, conquistou um amigo.

A cena foi flagrada por um morador de um prédio vizinho, que registrou a foto e a postou para tentar encontrar o bom policial, que ofereceu empatia à criança. Logo uma corrente se formou e a corporação informou sobre quem era o soldado. O nome dele é Maicon Alessandro Gonçalves, de Araranguá, soldado da 1° Cia do 19° Batalhão. Segundo ele, a guarnição chegou por volta do meio dia no local, e logo chamou atenção do soldado o menino que estava ao redor do pai. Percebendo que a família era humilde, Maicon deu alimentos ao garoto, que não saiu mais de perto dele. “Perguntei o nome dele, e quando ele me respondeu, falei que era um nome de apóstolo que tinha sido um grande homem. Perguntei a idade, ele disse que tinha 4 anos, perguntei se tinha irmãos, ele disse que tinha 4 ou 5, perguntei o que ele queria ser, ele disse que queria ser policial. Ele ficou com a gente até o final da votação”, relata. Gonçalves ainda diz que não foi só o menino que teve um momento diferente naquele dia. Ele mesmo recordou os maus bocados que passou na infância pobre. “Eu me vi muito naquele menino, eu pensei ‘sou igual ele’, eu vim de família humilde, morei em barraco de lona, minha família veio do meio da favela mesmo e graças a Deus a gente conseguiu estudar e chegar na situação em que a gente pode ajudar os outros”, relembra.

Ele achou interessante que a foto tenha sido tirada e que tenha se espalhado tão depressa, e acredita que isso serviu para sensibilizar mais as pessoas. A prova é que já está acontecendo uma campanha informal para ajudar o menino, para quem o soldado já prepara mantimentos para serem levados no próximo fim de semana. “Mais ou menos, eu sei onde eles moram. Quando começou a repercutir, eu disse que no fim de semana ia levar mantimentos lá para eles, e as pessoas começaram a oferecer e ajudar”, conta. Segundo ele, a PM já distribuiu cestas básicas a famílias que estão necessitadas nesse momento de pandemia, e se não conseguir encontrar a família do garoto de quem se tornou amigo, há outras crianças que precisam de atenção e alimentos. “Se eu não puder achar ele neste fim de semana, vou ajudar outros, tem mais 100 iguais a ele espalhados ali pela Coloninha. Para nós, não faz diferença, é só uma hora de conversa. Ele ficou a tarde inteira colado comigo, eu disse que ele era meu parceiro”, conclui.

O Capitão Diego Schwartz, Comandante da 1° Companhia de Polícia Militar de Araranguá, enalteceu a atitude do soldado, dizendo que Gonçalves é um exemplo a ser seguido. “A atitude do Soldado Gonçalves nos alegra e enche de orgulho. A caridade, a solidariedade e a aproximação com a comunidade mostram a excelente pessoa que ele é. E como profissional, é um dos melhores de Santa Catarina. Com certeza,  é um exemplo a ser seguido por todos os militares e servidores públicos estaduais”, comentou.

Pai de uma menina de 5 anos, o soldado já percebeu que nas crianças há um mundo de possibilidades, e espera ter plantado no pequeno amigo que fez naquele domingo, uma semente de empatia para um futuro melhor.

0 Comentários

Comente essa publicação