SANTA CATARINA TEM GOVERNADORA NA TERÇA

A semana começa com a mudança no Governo do Estado, com o afastamento de Carlos Moisés (PSL) e a posse da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), que acontece na terça-feira (27). A governadora interina deve fazer algumas mudanças no governo, deve colocar figuras de confiança dela e manter – ao menos neste primeiro momento, algumas que são ligadas a Carlos Moisés (PSL), mas que ocupam cargos estratégicos, especialmente para não ter uma mudança tão brusca. Daniela deve ficar de olho na relação com o parlamento, para evitar os desgastes, como aconteceu com o governador afastado Carlos Moisés. Além disso, ainda terá que administrar a chamada “traição” do deputado Sargento Lima (PSL), que votou para salvar Daniela e afastar apenas Moisés. Foi o voto dele que permitiu o arquivamento do processo contra a vice-governadora. Fica a impressão de que a ala bolsonarista da Asembleia Legislativa, que conta com 4 deputados (Ana Campagnolo, Jessé Lopes, Felipe Estêvão e Lima) estava fazendo jogo de cena ao combater Daniela Reinehr em discursos inflamados, para depois salvá-la na votação. E com a digital do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Se foi isto, deu muito certo. Ninguém esperava este voto divergente. Esta segunda-feira (26) foi dia de esvaziamento das gavetas.

 

O QUE MUDA?

Caso Daniela não fosse salva quem iria assumir por até 180 dias seria o presidente da Assembleia Legislativa Júlio Garcia (PSD). Além do mais, o MDB também pode se ver prejudicado já que Mauro de Nadal, vice-presidente da Alesc, seria o presidente interino a controlar o segundo maior orçamento do Estado. Outra mudança é a mudança na liderança do governo, que foi exercida por Coronel Mocelin (PSL), Maurício Escudlark (PL) e Paulinha (PDT), que já informou que o cargo está à disposição da governadora. O cargo deverá ficar com um dos 4 deputados bolsonaristas neste primeiro momento.

 

DEBATE NO ARROIO

Depois do sucesso no 1º debate eleitoral com os candidatos a prefeito de Araranguá, em que participaram 4 dos 5 candidatos – ausente apenas César Cesa (MDB), a POST TV acertou a realização do segundo debate destas eleições com as coordenações das campanhas de Evandro Scaini (PSL), Everton Pinto (PDT) e Daniel Motta (Solidariedade).

 

ABUSO DE PODER ECONÔMICO?

A coligação “Eu Amo Araranguá” – Daniel Viriato (PP) e Anísio Premoli (PDT) – promoveu uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), contra a Coligação Novos Rumos Araranguá, de Ricardo Ghelere (PRTB) e Claudete Bianchi (PRTB). Pediu uma liminar, mas não foi atendida, para quebra de sigilo bancário de Ricardo Ghelere, sob a alegação de que ele usou as mídias sociais para se promover antes das eleições – conduta vedada, propaganda antecipada. Será expedido ofício para o Facebook e Instagram para buscar comprovar “abuso de poder econômico na pré-campanha e campanha”. A coligação tenta provar que a candidatura de Ghelere foi favorecido por ter começado a campanha antes dos outros candidatos.

 

APOIOS AO 11

Em Balneário Gaivota, o PP divulgou um vídeo com apoio a dupla Carlinhos (PP) e Ênio (MDB) com depoimentos do MDB – deputado federal Celso Maldaner, deputado estadual Volnei Weber e do senador Dário Berger; do PP, do senador Esperidião Amin; deputado federal Ricardo Guidi (PSD); e deputado estadual Felipe Estêvão (PSL).

 

VEREADOR X VICE

Em Balneário Arroio do Silva, vai parar na polícia uma briga da política. Isto porque o vereador Dionei de Souza Teixeira, o Moranguinho (PSDB), e o vice-prefeito Carlos Scarsanella (PSD) foram para as “vias de fato”, na manhã desta segunda-feira (26), por volta de 11 horas da manhã.

 

JACINTO DE LUTO

A assistente social Susana Casagrande perdeu a luta para o câncer em Jacinto Machado. Ela atuou a com a ex secretária Zete Molgaro e agora com Regina Patel.

 

PESQUISAS REGISTRADAS 1

O jornalista João Carlos Silva, que assina matérias pela Assessoria de Imprensa – Coligação Novos Rumos Araranguá, tem uma página no Facebook, a JC Redação. Ele escreveu uma nota dia 22 de Outubro com o seguinte título: “PESQUISA OFICIAL – Especulações perpetuam-se durante o período eleitoral, fazendo com que enquetes e pesquisas de intenção de voto sejam manipuladas na desesperada tentativa de conquistar alguns desavisados eleitores que estão em dúvida sobre qual candidato escolher. Em Araranguá, entretanto, só existe uma pesquisa registrada- o que ocorreu nessa quarta-feira – junto a Justiça Eleitoral. Ela foi feita pela empresa Ar7 Pesquisa de Opinião e Consultoria, cujo responsável é o respeitado estatístico paulista Augusto da Rocha. O resultado dessa pesquisa ainda não é público, mas pode surpreender. Aguardemos!” A coleta de dados foi programada para dias 26 e 27/10.

 

PESQUISAS REGISTRADAS 2

Curiosamente quem contratou a empresa Augusto da S Rocha Eireli / Ar7 Pesquisa de Opinião e Consultoria Estatistica foi o próprio Augusto da S Rocha Eireli, CNPJ: 29833202000104. A segunda curiosidade é que o questionário apresentado no registro da pesquisas na pergunta estimulada – Em qual destes candidatos você tem intenção de votar em 15 de novembro? – está na seguinte ordem: 1= Cesar Cesar 2= Ricardo Guelere 3= Daniel Viriato 4= Igor Batista 5= Felipe Damasio 6= Branco/ nulo 7= Indeciso. *O nome dos candidatos César Cesa e Ricardo Ghelere estão com a grafia errada. O site http://divulgacandcontas.tse.jus.br/ onde estão os registros de candidatura mostra a sequência em ordem alfabética o registro de candidaturas, que é a mesma ordem das urnas.  A pesquisa deveria ter sido 1= Cesar Cesa 2= Daniel Viriato 3= Igor Batista 4= Professor Felipe Damásio; e 5= Ricardo Ghelere.

 

PESQUISAS PROIBIDAS

O juiz eleitoral de Lages, Ricardo Alexandre Fiuza, barrou a divulgação das pesquisas sábado, 24 de Outubro. “Pelo exposto, JULGO procedente o pedido formulado na petição inicial para RATIFICAR a liminar e SUSPENDER, em definitivo, a pesquisa eleitoral registrada no TSE em 18/10/2020, sob n. SC-01159/2020, pela empresa Augusto da R. Rocha Eireli – Ar7 Pesquisa De Opinião E Consultoria Estatística. E balizou: “Adoto como fundamentação, igualmente, o douto parecer ministerial, citando, ainda, algumas Num. 21060368 – Pág. 10 decisões proferidas por Juízos de Zonas Eleitorais que deferiram liminares contra a requerida na Justiça Eleitoral do Estado de Santa Catarina, além do precedente de São Paulo citado na liminar em face da empresa de pesquisas Augusto da R. Rocha – EIRELI – AR7 Pesquisa de Opinião e Consultora Estatística”. Foi proibida a divulgação da pesquisa em Florianópolis, dia 23/10/2020, pela juíza eleitoral Margani de Mello, da pesquisa SC-09480/2020, pela empresa Augusto da R. Rocha – EIRELI – AR7 Pesquisa de Opinião e Consultora Estatística. Também, seguindo a mesma regra, o registro no TSE em 18/10/2020, sob o n. SC-01168/2020, pela empresa AUGUSTO DA S ROCHA EIRELI – AR7 PESQUISA DE OPINIÃO E CONSULTORIA ESTATÍSTICA, foi proibida em Xanxerê dia 23/10 pela juíza eleitoral Maria Luiza Fabris. Este deve ser o destino da pesquisa SC-07267/2020, que a empresa se autocontratou e registrou dia 21/10 para fazer em Araranguá.

 

PESQUISA POR TELEFONE

A pesquisa registrada dia 24/10, sob o número SC-03596/2020, contratada pelo Tribuna de Notícias, para aferição de dados em Araranguá, é uma pesquisa por telefone. “Esta é uma pesquisa estatística e totalmente eletrônica sobre ARARANGUÁ. Dura aproximadamente 1 minuto. O modo de resposta será através do teclado do seu telefone. Você gostaria de responder a pesquisa? Digite 1 para SIM (continua) ou 2 para NÃO (desliga)”. Por ora, nenhuma restrição à credibilidade, mas não se pode comparar com a consulta nas casas. É mais confiável com toda certeza.

0 Comentários

Comente essa publicação