Após impasse, cadastro deverá ser feito nas prefeituras e apenas trabalhadores poderão passar. Prefeito ainda falou da previsão de término das obras

Quem precisa passar pela BR-285 para chegar ao trabalho, poderá garantir sua passagem a partir de agora. Finalmente foi resolvido o problema sobre a passagem de populares pela Serra da Rocinha, assunto que gerou mobilizações e até paralisação das obras na semana passada. Um cadastro para motoristas autorizados a trafegar em meio às obras da rodovia chegou a ser feito, mas populares e trabalhadores locais não concordaram e a discussão continuou. 

Nesta última quarta-feira, dia 17, os prefeitos de Timbé do Sul e São José dos Ausentes se reuniram com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) em Santa Catarina, Ronaldo Barbosa, em Florianópolis, e entraram em um acordo. “Quando ocorreu que o pessoal não deixou a equipe da empresa trabalhar na segunda-feira da semana passada apareceu esse problema, de a Serra da Rocinha estar fechada e não ter obra ali. Fomos a Timbé do Sul para fazer uma liberação ao menos para quem mais precisa trafegar. Acreditávamos que tinha toda a sociedade ali representada. Para surpresa nossa, a sociedade da região não estava totalmente representada, algumas pessoas ficaram de fora dessa liberação”, destacou.

Ainda segundo Barbosa, quem realmente precisa atravessar a serra, precisa fazer o cadastro e assinar o devido termo de responsabilidade. Isso deve ser feito nas duas prefeituras. “Antes de fechar, passavam 70 veículos no trecho segundo a empresa, queremos atender a todos, sem fazer injustiça”, declarou. 

O trânsito será controlado, tudo pensando na segurança de quem trafegará no local. Após o cadastro, será possível atravessar algo entre 60 ou 70 veículos pela BR. Mesmo assim, Barbosa lembra que a rodovia deverá ser fechada de novo no futuro. “Será necessário colocar contenções nas encostas. Aí sim vai ser preciso fechar a serra, mas vai ser avisado”, concluiu.

O prefeito de Timbé do Sul, Beto Biava, explicou que apenas as pessoas que precisam passar pela BR-285 para chegar ao trabalho poderão se cadastrar. Para quem quer apenas conhecer a obra, a serra permanece fechada.   

Ele analisa que a decisão beneficiará alguns trabalhadores da região, que estavam sofrendo ao fazer desvios que aumentavam o trajeto em centenas de quilômetros. “O problema era o número de placas e o pessoal de Timbé e de São José dos Ausentes estava com problemas. Vamos fazer um cadastro nas duas prefeituras liberando o acesso para essas pessoas”, explicou.

Ele ainda declarou que a expectativa é de que a obra seja entregue somente no fim de 2020, já que condições climáticas acabaram gerando atrasos. “A obra parou porque os últimos 3 quilômetros de encostas tem problemas de deslizamento, como em qualquer serra. Está sendo feito um estudo, perfurações e eu acho que dentro de poucos dias eles apresentam no Dnit, que vai liberar o dinheiro para a conclusão das obras”, disse. 

Publicações relacionadas

0 Comentários

Comente essa publicação