Uma mesa redonda deverá finalizar a manhã para debater a defesa sanitária na cultura

Produtores de maracujá devem se reunir nesta terça-feira no 3° Seminário Regional sobre a Cultura do Maracujá, no auditório da escola Nair Alves Bratti, em Sombrio. O evento contará com palestras sobre o mercado nacional, produção em convívio com a virose, a legislação em vigor e debates. 

Um assunto que deverá ser bastante comentado no evento será a virose que atingiu as parreiras em 2016, e que segundo o responsável pelo Projeto Fruticultura na região de Araranguá, Tubarão e Criciúma, Diego Adílio, só foi controlado devido às parcerias com o setor privado e instituições nacionais. “Mesmo não tendo uma legislação que determine o vazio sanitário, quando não pode haver nenhuma planta de maracujá sendo cultivada a céu aberto, com a nossa orientação, hoje a cultura de maracujá se perpetua em nossa região”, relata.

Ele é um dos organizadores do evento, que tem como coordenador o extensionista da Epagri de Sombrio, Sandoval Miguel Ferreira. 

O secretário adjunto do estado da Agricultura, Ricardo Mioto e o gestor estadual de Defesa Sanitária Vegetal, Alexandre Mess, da Cidasc, já confirmaram presença no evento. Uma mesa redonda deverá finalizar a manhã para debater a defesa sanitária na cultura.

O plantio direto de hortaliças também terá espaço durante a tarde, com um relato de experiência de um produtor de fora da região que conseguiu adotar a tecnologia.

Segundo Diego, o evento busca prestigiar quem vive da cultura do maracujá, além de capacitar os produtores, conscientizar sobre legislação e orientar através das pesquisas realizadas pela Epagri. “Queremos valorizar a cultura, que é fonte de renda para mais de 700 famílias, são 1500 hectares na região. É um momento de reflexão da necessidade de adoção das orientações que damos, além de oportunizar capacitação técnica, com um produtor que vive com qualidade no meio rural. Além disso, oportuniza que os produtores tenham contato com produtores de fora da região e do estado”, completa.

A expectativa é de que em torno de 150 pessoas compareçam ao seminário, e para Sandoval Miguel Ferreira, responsável pelo evento, é importante que o produtor compareça. “Estamos divulgando e tomara que eles participem, isso é muito importante”, declarou durante a divulgação do seminário.

Publicações relacionadas

0 Comentários

Comente essa publicação